Safarian Nakoula: chef sírio que aportou em Rio Preto fugindo da guerra será o responsável pelas cozinhas das duas unidades do Jacó Árabe, no Plaza Avenida e no Iguatemi RP. (Fotos: Cleber Davidson/Coluna do Beck

Safarian Nakoula: trabalho, paz e dignidade em Rio Preto. (Fotos: Cleber Davidson/Coluna do Beck)

A notícia se esparramou como coalhada no pão e, a essa altura, você já deve saber sobre a contratação de Safarian Nakoula, 57 anos, como chef de cozinha em Rio Preto.

Sim, a novidade é dessas coisas que dá gosto em compartilhar. Mas a Coluna foi além. Fomos conhecer Safarian e os empresários que apostaram suas fichas no refugiado sírio, um senhor encantador de olhos dóceis, que não economiza no sorriso e nem no abraço. Acompanhe e emocione.

Talento a toda prova

Chef estrelado de um hotel internacional de Damasco, na Síria, onde atuou por 25 anos, Nakoula faz parte dos inúmeros grupos de sírios que, desde 2014, vêm aportando em Rio Preto em busca de trabalho, paz e dignidade.

O primeiro sonho, o trabalho, Safarian já realizou. Há cerca de 15 dias, ele foi convidado pelo casal de empresários Regiane e Jácomo Pântano para fazer um teste e tentar uma vaga na cozinha do Jacó Árabe, novo nome do antigo Hzinho, no Plaza Avenida Shopping.

Teste realizado, o sírio sequer teve tempo de tirar o ‘toque’ (nome do chapéu que os cozinheiros usam): foi automaticamente contratado. “Estávamos desesperados tentando achar um bom cozinheiro que entendesse de gastronomia árabe. Mas não imaginávamos que fôssemos encontrar alguém com tanto talento e experiência”, celebra Regiane, visivelmente satisfeita.

Jacó Árabe: antigo Hzinho agora tem chef sírio, autêntico cardápio árabe e o clássico 'parmegiana da casa'. (Fotos: Cleber Davidson/Coluna do Beck)

Jacó Árabe: antigo Hzinho agora tem chef sírio, autêntico cardápio árabe e o clássico ‘parmegiana da casa’.

Nova casa, novos sabores

Para a empresária, que resolve pessoalmente todos os detalhes da cozinha de seus restaurantes, Safarian Nakoula é dessas surpresas que só acrescentam na vida das pessoas. “De cara, ele já mudou uma série de pratos, além de adicionar às receitas novos temperos e especiarias. É um chef completo”, conta Regiane, que tem se comunicado com o sírio através de um aplicativo de tradução do celular.

“Ele não fala quase nada de Português, mas manda muito bem no francês, além do árabe”, explica a empresária enquanto cuida dos últimos acabamentos do Jacó Árabe. O restaurante, que ocupa o mesmo espaço onde funcionava o Hzinho, mudou de nome e de cara há 30 dias. A nova roupagem, aliás, leva a assinatura do arquiteto Lisandro Piloni.

“Também mudamos alguns pratos e queremos continuar focados na autêntica cozinha árabe, sobretudo agora, com os toques de Safarian”, continua Regiane, acrescentando a informação de que o “Parmegiana” oferecido pela casa, um dos pratos mais pedidos pelos clientes, segue tinindo de bom no cardápio do Jacó Árabe.

Parmegiana do Jacó: prato rende duas porções e uma semana de elogios.

Parmegiana do Jacó: prato rende duas porções e uma semana de elogios.

“É importante frisar isso porque muita gente vem aqui só para comer nosso parmegiana”, enfatiza Regiane que, ao lado do marido, inaugura na segunda quinzena de outubro uma unidade do Tio Jacó, restaurante de comida caseira, no Shopping Iguatemi RP.

O Tio Jacó do Iguatemi, aliás, também contará com menu árabe preparado pelo chef sírio, que atuará exclusivamente no novo restaurante. “Vamos absorvê-lo no local justamente para atender à enorme demanda por comida árabe que existe no novo shopping”, acentua Regiane.

‘Shukran’

Para Safarian, todas essas oportunidades e mudanças configuram milagres em sua vida (ele busca a tradução da palavra no aplicativo do celular). Perguntado se está feliz, ele sorri e faz mímicas que confirmam a satisfação de estar vivendo no Brasil. “Estou muito feliz, shukran”, agradece, lembrando que o cumprimento significa “obrigado” em árabe.

Mais cedo, quando começamos esta entrevista, Safarian parou inúmeras vezes para fazer fotos com clientes e receber os merecidos parabéns pelo trabalho que vem desempenhando. Tanto assédio e carinho umedecem os olhos do chef que, por inúmeras vezes durante a entrevista, repetiria sem parar “Sukran!”

É dura a vida do trapezista engolindo a kafta e segurando o choro…

Denominado Árabe 2, um dos mais famosos pratos do restaurante já ganhou temperos do chef e mistura um pouco de tudo o que há de  mais saborosos na cozinha árabe: coalhada, homus, tabule, babaganuche, michui de frango, kafta, charuto de uva e de repolho e o memorável arroz com lentilhas. Pra comer de joelhos...

Denominado Árabe 2, um dos mais famosos pratos do restaurante já ganhou temperos do chef e mistura um pouco de tudo o que há de mais saboroso na cozinha árabe: coalhada, homus, tabule, babaganuche, michui de frango, kafta, charuto de uva e de repolho, além do memorável arroz com lentilhas. Pra comer de joelhos…