Miguel Zerati Filho: "Detesto fazer regime". (Fotos: Reprodução)

Miguel Zerati Filho: “Detesto fazer regime”. (Fotos: Reprodução)

Veterano da turma de 1978 da Famerp (Faculdade de Medicina de Rio Preto), o urologista Miguel Zerati Filho começa 2016 com apenas uma reclamação: ter de fazer regime.

No mais, o médico e atual presidente da Unimed Rio Preto está muito bem, obrigado. Pelo menos é o que Zerati deixa transparecer ao responder o questionário proustiano deste domingo (10).

Turista pela própria natureza, Miguel também adora viajar (“não importa se praia ou montanha, tô dentro”), jogar tênis, ver um bom filme e comer em restaurantes caprichados. Mas antes disso tudo, é a família sua principal paixão. Casado com Valéria Cabrera Zerati, ele é pai dos galalaus Ricardo e Rodrigo. A seguir, as respostas do médico, que também atua como diretor da Sociedade Brasileira de Urologia há 20 anos. É dura a vida do trapezista questionador.

Qual é sua maior qualidade?

Retidão de caráter e princípios éticos.

E seu maior defeito?

Vários: exigente, intempestivo e às vezes irredutível.

A coisa mais importante em um homem?

Ter mil atividades e compromissos e poder dormir tranqüilo. 

 E em uma mulher?

As mesmas dos homens, sendo suave, alegre e amorosa.

O que você mais aprecia nos seus amigos?

Cumplicidade e alegria.

Com a mãe, Dona Fifi: "Minha heroína".

Com a mãe, Dona Fifi: “Minha heroína”.

Sua atividade favorita é…

Além de realizar cirurgias, jogar tênis.

Qual é sua idéia de felicidade?

Saber aproveitar os momentos mágicos que a vida nos oferece.

E o que seria a maior das tragédias?

Desamor ou doença grave.

Quem você gostaria de ser, se não fosse você mesmo?

Eu, com 18 anos, ingressando na faculdade de medicina.

E onde gostaria de viver?

Num Brasil sem injustiças sociais, corrupção e violência.

Qual sua cor favorita?

Azul.

Uma flor?

Orquídea.

Um pássaro?

Canário do Reino, tive vários.

Seus autores preferidos?

Jurgen Thorwald (“O século dos cirurgiões”), Noah Gordon (“O Físico”), Drauzio Varella (“Por um fio”) e Jorge Amado.

Drauzio Varella: referência quando o assunto é medicina e leitura.

Drauzio Varella: referência quando o assunto é medicina e leitura.

E os poetas de que mais gosta?

Fernando Pessoa, Pablo Neruda, Vinícius de Moraes e Mario Quintana.

Quem são seus heróis de ficção?

Super-Homem e Tarzan.

E as heroínas?

Mônica (de Maurício de Souza), Jane e Chita do Tarzan.

Seu compositor favorito é…

Chico Buarque antes da militância petista.

E os atores que você mais curte?

No Brasil, Wagner Moura e Mateus Solano; no exterior, Al Pacino, Dustin Hoffman e George Clooney.

Quem são suas heroínas na vida real?

Minha mãe Fifi, que aos 90 anos me motiva e enche de esperanças; minhas irmãs Marrê e Malu; e minha querida esposa Valéria, meu amor incondicional.

Miguel e a esposa Valéria durante o Réveillon de 2016, na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Miguel e a esposa Valéria durante o Réveillon de 2016, na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

E quem são seus heróis?

Meu grande herói foi meu pai, exemplo de vida, minha inspiração e fonte de amor. Era tão sábio, que me ensinou tudo rapidamente, pois tinha que nos deixar cedo. Atualmente todos brasileiros, trabalhadores ou estudantes, que lutam pela sobrevivência e por um país melhor.

Qual é sua palavra favorita?

Amor.

O que você mais detesta?

Muitas coisas: ingratidão, mentiras… Mas atualmente é fazer regime.

Quais são os personagens históricos que você mais despreza?

Hitler e Mussolini. Atualmente, Bashar AL-Assad, ditador sírio, terra do meu avô paterno. Posso incluir a Dilma ?

Quais os dons da Natureza que você gostaria de possuir?

Voar, sem dúvidas. E também reflorescer.

A bordo de amigos:

A bordo de amigos: “Cumplicidade e alegria”.

Como você gostaria de morrer?

Velhinho, lúcido, dormindo, sem sofrimento

Como você está se sentindo nesse momento?

Feliz, iniciando o ano com muitos planos, família unida e com saúde. Preocupado com nossa situação política e econômica.

Que defeito é mais fácil perdoar?

Todos, desde que haja motivos para perdoar.

Qual é o lema da sua vida?

“Se a nossa vida é provisória, que seja linda e louca nossa história, pois o valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis”. (Fernando Pessoa).

Fernando Pessoa: poeta é o preferido de sua lista.

Fernando Pessoa: poeta é o preferido de sua lista.