0nofacebookeassimNão chega a preocupar, mas assusta a maneira como muitos usuários de redes sociais comentam determinadas notícias aqui na internet.

Se há sangue, dor e morte, há compartilhamento. Se há viagens, champanhe e privilégios simplesmente porque muitos nascem ou se tornam ricos, há xingamentos, recalque e desaforos. Assuntos políticos? Todo mundo entende e ‘ai’ de quem contrariar a opinião do outro…

Comportamento, bullying e temas sobre preconceito em geral? Melhor nem meter o bedelho.

É o Tribunal do Facebook em ação. Até aqui, tudo bem, uma vez que todos têm o direito garantido pela dupla “Liberdade de Expressão & Soco no Estômago” de opinar, esmurrar e agredir virtualmente. Mas calma, refrigera tua alma: a linha do trem desgovernado que separa a sua opinião da reputação do outro é mais torta do que aquela que passa no Jardim Conceição (moradores de Rio Preto entenderão melhor o trocadilho). Uma hora ela vai se romper.

Em síntese, dar “enter” a um comentário num post, hoje em dia, equivale a disparar uma flecha envenenada. Pode reparar. Dependendo do ângulo, você acerta a pessoa. Mas também se mata. É dura a vida do trapezista reflexivo…

content_id