João Aris Kouyoumdjian: neurologista participará de evento para lembrar o  Genocídio Armênio. (Foto: Reprodução/Facebook)

João Aris Kouyoumdjian: neurologista participará de evento para lembrar o Genocídio Armênio. (Foto: Reprodução/Facebook)

O neurologista João Aris Kouyoumdjian, de Rio Preto, é um dos quatro médicos de origem armênia convidados pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo (CREMESP) a falar sobre o Genocídio Armênio, no dia 25 de abril.

Na data, o Conselho realizará evento formal para lembrar o centenário deste que é, sem dúvida, um dos piores capítulos da história mundial.

O Genocídio Armênio, também chamado de matança e deportação forçada de centenas de milhares de origem armênia que viviam no Império Otomano, se deu entre 1915 e 1923. Em sua recente passagem por Rio Preto,  em novembro de 2014, o médium e orador Divaldo Pereira Franco citou o evento como exemplo a ser repudiado e jamais esquecido, porém perdoado.

“Guerra vergonhosa, uma das chagas da humanidade que assinalam os tremendos preconceitos do ser humano”, pontuou Divaldo, na ocasião.