Júlio Cocielo se pronuncia em seu canal no Youtube: “Não tive intenção de ofender ninguém”… (Foto/Reprodução)

Um dos mais famosos youtubers brasileiros, Júlio Cocielo, 25 anos, teve sua vida completamente transformada desde o último sábado (30), quando postou no Twitter a seguinte frase:

Com mais de 16 milhões de assinantes em seu canal no Youtube, denominado”Canalha”,  Cocielo estava vendo o jogo França x Argentina quando teve a péssima ideia de publicar o comentário acima sobre o jogador francês Mbappé. Instantaneamente classificado como racista nas redes sociais, o tweet produziu uma devassa na vida do youtuber, sobretudo no próprio Twitter, onde Cocielo possui outros 7,4 milhões de seguidores.

Uma patrulha de internautas percorreu a timeline do rapaz e encontrou outras dezenas de tweets de cunho racista, como o que segue abaixo, devidamente printados e pulverizados nas redes…

Desesperado com as reações, o youtuber correu apagar os posts preconceituosos – mais de 50 mil tweets foram deletados, segundo o próprio Cocielo, que também gravou um vídeo pedindo desculpas e explicando que se referia apenas à velocidade do jogador Mbappé. Quanto aos tweets antigos, o rapaz disse que foram escritos em uma época “diferente de hoje” e que “só queria ser engraçado”. Não colou.

Tão rápido quanto seu tweet e o ritmo do craque francês foi o post do ator Bruno Gagliasso, que publicou em sua conta no Instagram um texto de autoria da jornalista e militante feminista Bela Reis, convidando seus seguidores a boicotarem e deixarem de seguir Júlio Cocielo.

Repost de Bruno Gagliasso jogou mais pólvora na fogueira…

Óbvio que a ação de Gagliasso gerou novas reações (contra e a favor de Cocielo), respingando, sobretudo, nas marcas que patrocinam o youtuber, como Coca-Cola, Itaú, Adidas e Submarino.

Em tempo: Júlio Cocielo estava na Rússia, a convite da Embratur, onde desempenhou, no final de junho, uma espécie de papel de ‘embaixador dos influenciadores digitais brasileiros’, mostrando aos colegas internacionais um pouco da dança, da gastronomia e da’marra’ tupiniquins.

Tanto a Embratur e as marcas que o patrocinavam já se manifestaram em notas, repudiando a atitude do youtuber e informando que as parcerias foram suspensas.

O blog tentou entrar em contato com Cocielo, mas não obteve retorno.