Triplex de Lula no Guarujá: edifício voltou a ser atração turística às vésperas do julgamento em segunda instância do ex-presidente. (Fotos: Reprodução)

Olar, brazeeel! Turubom, manas? Grazadeus que hoje é quinto dia útil, né? Cheguei a pensar que não teríamos a data em janeiro. Ufa!

E a semana começa como? Com mais gente indo viajar. E noixxx aqui, tudo ofegante, plantando bananeira pra colher notícia. Mas como diz Berenice Du Lar, a subprefeita do Doca Vetorasso, viajar nesta época do ano é uma cilada. Corre, Bino!

Nas rodovias, trânsito congestionado. Nas praias, chuva e virose. Daí você chega ao seu destino e chama o SAMU pra te levar de volta pra casa. Um drama misturado com cerveja quente e areia com micose.

Sem falar no isopor carregado de frango e maionese que o povo carrega pra debaixo do guarda-sol. Pode reparar. Um clássico do Leme ao Pontal, do Guarujá à Praia Grande (ou Big Beach, como também diz Berenice).

A propósito do Guarujá, um leitor da coluna que passou a última semana na Praia das Astúrias, onde está localizado o triplex que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à condenação em primeira instância (a segunda sai agora, dia 24), contou que o edifício Solaris virou novamente atração turística.

“Todo mundo faz uma selfie com o prédio ao fundo”, disse o leitor, via WhatsApp, pedindo anonimato, mas também enviando sua foto (ô raça!).

Mais cedo, quando todo o escândalo veio à beira mar, os vizinhos do triplex ficaram bem incomodados com o ‘assédio’ dos ‘turistas’, mas depois foram se acostumando. Alguns, inclusive, até aproveitaram o alto volume de visitação para vender gororobas e jujubas em frente ao edifício. “Agora, por conta do próximo julgamento de Lula, o imóvel voltou a ser sucesso na mídia’, concluiu o leitor.

Texto originalmente publicado na coluna Conexão Capivara deste domingo (7), no jornal Dhoje Interior.