Porta-retrato do horror (da esq, para a dir.): Suzane Von Richthofen, o irmão Andreas Albert e os pais Marísia e Manfred quando formavam uma ‘família feliz’. (Foto: Sérgio Castro/Estadão Conteúdo/Arquivo)

Não, NÃO é piada pronta nem meme. O crime cometido por Suzane Von Richtofen e pelo namorado Daniel Cravinhos vai virar filme com estreia prevista para 2019.

E, antes que você tenha um treco, saiba que o longa também já tem nome: “A menina que matou os pais”. A notícia de que as filmagens devem começar em breve foi confirmada ainda na semana passada pela distribuidora Galeria, braço da Vitrine Filmes.

Mauricio Eça, de “Apneia” e “Carrossel”, é quem assina a direção. Em nota, ele diz que o filme será um “thriller psicológico de suspense”, com foco nos motivos que levaram Suzane e o então namorado a matarem Manfred e Marísia Von Richthofen, em outubro de 2002.

Se você também não está sabendo lidar com a informação, saiba ainda que para Mauricio Eça só a realização do filme pode ajudar as pessoas a entenderem o “mais importante” nessa história toda, “que é o motivo que levou a filha, junto com seu namorado, a matar os pais.”

Já o roteiro do filme está a cargo da criminóloga Ilana Casoy, autora dos livros “O quinto mandamento”, que reconstitui o assassinato, e “Casos de família”, sobre a morte dos Richthofen e de Isabella Nardoni. Raphael Montes, escritor de literatura policial,  também colabora com o roteiro.

Até o momento, não há notícias sobre o elenco. Em conjunto, diretor, produtora e distribuidora estariam realizando testes em busca de atores e atrizes para compor esse brazilian horror story. Pausa para um Rivotril sublingual.

Daniel e Suzane: casal de namorados na época da prisão: busca-se atores para vivê-los no cinema. (Foto: Rogério Cassimiro/Folhapress).