Na foto (da dir. para a esq.): Reinaldo Volpato (Cultura para Todos), Douglas Souza (Grupo Tereos), Edinho Araújo (Prefeito de Rio Preto), Chico Guariba (ONG Ecofalante), Luis Souza (Senac) e Pedro Ganga (Secretário de Cultura), participam do lançamento da Mostra no Riopreto Shopping. (Foto: Beck)

Na foto (da dir. para a esq.): Reinaldo Volpato (Atividades Culturais Paratodos), Douglas Souza (Grupo Tereos), Edinho Araújo (Prefeito de Rio Preto), Chico Guariba (ONG Ecofalante), Luis Souza (Senac) e Pedro Ganga (Secretário de Cultura), participam do lançamento da Mostra no Riopreto Shopping. (Foto: Beck)

Gosta de cinema com temática ecológica?

Então você não pode perder a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, que está em cartaz no Riopreto Shopping, até o dia 17 de setembro, a bordo de painéis com fotos, sinopses e curiosidades sobre o festival, que começa oficialmente dia 18 de setembro e segue até o dia 30.

Neste período, inúmeros filmes socioambientais serão exibidos em diversos pontos culturais e educacionais de Rio Preto. Em tempo: todas as sessões são gratuitas ao público.

"Todo tempo do mundo", da inglesa Suzanne Crocker, é um dos filmes em cartaz na mostra, que vai até o dia 17 de setembro.

“Todo tempo do mundo”, da inglesa Suzanne Crocker, é um dos filmes em cartaz na mostra, que vai até o dia 17 de setembro.

Lembrando também que os filmes que compõem a grade do festival tratam de temas relacionados às mudanças climáticas, vida nas cidades, indústria da moda, água, economias alternativas, ativismo ambiental e outros temas. São produções do Brasil, Franças, Estados Unidos, Dinamarca e Canadá.

A Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é um dos mais importantes eventos audiovisuais da América Latina voltado aos temas socioambientais. Seleciona e exibe filmes premiados em festivais do mundo todo, a maioria inéditos no Brasil, e desenvolve ao longo do ano um trabalho educativo em escolas e universidades.

Lançada nesta terça, a exposição funciona como ponto de partida para o público conhecer os filmes que serão exibidos. (Foto: Ricardo Boni)

Lançada nesta terça, a exposição funciona como ponto de partida para o público conhecer os filmes que serão exibidos. (Foto: Ricardo Boni)

Desde a primeira edição, em 2012, já atingiu diretamente mais de 150 mil pessoas. Foram exibidos 423 filmes, de todos os continentes, em 25 cidades do Estado de São Paulo. Chegou a 170 espaços de exibição, entre cinemas, escolas, universidades, parques, espaços públicos, unidades do Sesc e do Senac, Fábricas de Cultura, CEUs e ETECs. Realizou cerca de 320 debates e mediações, sobre temas como mudanças climáticas, água, cidades, energia, globalização, economia, ativismo, povos e lugares, resíduos sólidos, entre outros.

"Malditas Barragens", dos americanos Ben Knight e Travis Rummel, explora a mudança na atitude dos cidadãos dos EUA a partir do orgulho em grandes barragens como maravilhas da engenharia.

“Malditas Barragens”, dos americanos Ben Knight e Travis Rummel, explora a mudança na atitude dos cidadãos dos EUA a partir do orgulho em grandes barragens como maravilhas da engenharia.

A Mostra Ecofalante em Rio Preto é uma realização da ONG Ecofalante, do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Cultura, patrocinada pela Guarani – Mais que açúcar, com apoio da Prefeitura de Rio Preto, Riopreto Shopping e Senac. Tem apoio institucional da Acirp, Câmara Municipal, Colégio Santo André, Colégio São José, Centro Paula Souza, FAMERP, Ibilce/ Unesp, Senai, Serviço Social São Judas Tadeu, Sesi e Unorp. Roda e avisa.

Outro filme de destaque da mostra é o dinamarquês "A Escala Humana", do diretor Andreas Dalsgaard. Na obra, uma abordagem série e contundente sobre o alto número da população mundial que vive em áreas urbanas. "E e este número vai subir para 80% em 2050", atesta o diretor.

Outro filme de destaque da mostra é o dinamarquês “A Escala Humana”, do diretor Andreas Dalsgaard. Na obra, uma abordagem série e contundente sobre o alto número da população mundial que vive em áreas urbanas. “E e este número vai subir para 80% em 2050”, atesta o diretor.