Espetáculo bota o dedo na ferida do preconceito. Aviso: pode doer. (Fotos: Jorge Etecheber)

Espetáculo bota o dedo na ferida do preconceito. Aviso: pode doer. (Fotos: Jorge Etecheber)

A Companhia Azul Celeste, do ator e diretor Jorge Vermelho, apresenta gratuitamente o espetáculo “Quero Ser Preto”, entre os dias 16 e 21 de setembro (cata a programação completa no final deste post).

A peça, que mistura dança-teatro e artes integradas, fala sobre o preconceito em suas diferentes formas e gêneros. Além da dança e da atuação impecável dos atores, conta com vídeos que dialogam com a linguagem teatral, propondo uma reflexão profunda sobre o preconceito em uma atmosfera sensível. A classificação indicativa é 16 anos.

No palco, dança-teatro e artes se integram propositalmente.

No palco, dança-teatro e artes se integram propositalmente.

As sessões serão realizadas na nova sede da Companhia Azul Celeste, localizada na Alameda Norte, 383, no Jardim Primavera (ao lado do Campo do América).

Em tempo: os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência no próprio local.

Com roteiro e direção de Jorge Vermelho e dramaturgia de Cintia Alves, as apresentações de “Quero Ser Preto” têm incentivo do PROAC (Programa de Ação Cultural), da Secretaria de Estado de Cultura do Governo de São Paulo. O espetáculo estreou em maio deste ano e já foi visto por centenas de pessoas. “Quero Ser Preto” é uma produção do Núcleo Arcênico de Criações e co-produção da Casa de Criar e da Companhia Azul Celeste.

Performance dos atores em cena já foi vista por centenas de pessoas.

Performance dos atores em cena já foi vista por centenas de pessoas.

Sessões de “QUERO SER PRETO”:

16/9 – sexta – 15h e 19h30
17/9 – sábado – 15h e 19h30
18/9 – domingo – 15h e 19h30
19/9 – segunda – 15h e 19h30
20/9 – terça – 19h30
21/9 – quarta – 19h30

Aproveite, veja, adube o teatro.

Aproveite, veja, adube o teatro.